segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Doação de livros

Mocimboa da Praia, 6 de dezembro de 2010.

Olá queridos,
Tô vindo aqui hoje pra fazer um pedido especial a vocês...
Inauguramos no dia 30 de outubro nossa Biblioteca Karibuni, com o objetivo de abençoar e elevar o nível intelectual e educacional de nossa população.
Foi um dia de muita festa, onde o presidente do município despejou elogios e agradecimentos pela iniciativa.
Porém, nossas prateleiras estão praticamente vazias... precisamos urgente de doações de livros, livretos, revistas, dicionários, etc.
Por favor, olhe para as prateleiras de sua casa e despeje em nossa Biblioteca aquilo que vc não usa e não lê mais... pois aqui tem muitos homens, mulheres, crianças, jovens e idosos sedentos por novos saberes... principalmente de livros em português, que é a língua nacional de Moçambique.

Em Marília tenho duas pessoas especiais me ajudando...
A minha amiga e agente de comunicações... rss... Renata Devidé está recebendo doações pelo seu email redevide@hotmail.com e a Igreja Ágape também é posto de doações, no telefone: (14) 3413-9510.
Minha mãe, minha maior incentivadora, também está recebendo doações pelo email: rutimess@terra.com.br  e pelo telefone (14) 3433-9428.
A 1 Igreja Presbiteriana Independente de Marília também é posto de doações pelo telefone: (14) 3433.2856

Precisamos de:
·         Livros infantis
·         Educacionais
·         Literatura em geral
·         Economia e finanças
·         Agricultura
·         Saúde
·         Nutrição
·         Educação de filhos
·         Casamento
·         Dicionários (português, inglês, francês, espanhol)
·         Gibis
·         Revistas
·         Livros cristãos em geral
·         Livros em inglês.
Mas de verdade pessoal, tudo o que vcs tiverem será bem vindo...
Mas precisamos disso com URGÊNCIA, pois os livros serão enviados para mim até o dia 15 de dezembro e depois em outra remessa no dia 04 de janeiro.

Espero que muitos se mobilizem por esta causa...
Mais uma vez obrigada,
Amo vcs,
Ana Elisa

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Vídeo da Ana

Oi pessoal,

Este vídeo foi feito pra divulgar o trabalho da Ana la em Mocímboa da Praia.




Quem puder divulgue,

Renata

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pressa, exagero e medo

Mocimboa da Praia, 26 de outubro de 2010.


Estava tendo mais um daqueles dias, na loucura desvairada de uma África onde todos precisam de tudo... em que tenho q me desdobrar pra encaixar todas as necessidades e atividades nas horas que se seguem (pois sim, a cor da minha pele e o fato de ser estrangeira abrem portas e faz com que pessoas sejam atendidas com mais decência, que sejam operadas depois de anos de espera... terrível isso!!)

Quem me conhece imagina como estavam meus passos a andar por entre as tendas da UNICEF no nosso Hospital em Mocimboa, quando uma amiga, uma freira canadense me viu e disse: "Slow down Ana, slow down....” Eu sorri e continuei na mesma toada... quando encontro outra amiga, agora uma freira brasileira... e conversando ela me disse:

“Só tenho 3 palavras sobre pessoas com o nosso tipo de personalidade: PRESSA, EXAGERO E MEDO...

Pressa, pois sempre estamos correndo de um lado para o outro tentando ajudar todo mundo, tentando atender necessidades de diferentes lados e vivemos nessa correria louca...
Exagero, pois não sabemos dizer não e com isso muitas pessoas se aproveitam de nós, excedemos na ajuda e acabamos atrapalhando, pois as pessoas deixam de crescer, de se tornar independentes e de arrumar soluções para os seus próprios problemas...

Medo, pois vivemos com medo de desagradar as pessoas... queremos agradar a todos, o tempo todo... "


Quanta sabedoria compartilhada em 5 minutos de conversa!!! E ainda com alguém que me viu algumas vezes, que me conhece há menos de um ano, mas que já me conhece muuuito bem...

Mais tarde contando o ocorrido para minha mãe, ela me disse: “Esse deveria ser um daqueles dias que se Deus pudesse ele te amarrava numa cordinha como se amarra cachorrinhos na coleira, mas como ele não podia fazer isso, ele mandou duas amigas para falarem com vc...”

E foi isso mesmo...

Voltei pra casa com passos mais lentos e prometendo a mim mesmo que iria de algum modo colocar em prática mudanças q distanciem essas palavras do meu contexto diário...

Que bom pertencer a um Deus que nos conhece, nos aceita e nos ama como somos, mas que também nos desafia a nos tornarmos pessoas melhores, tanto para o nosso próprio bem como para o desenvolvimento do seu Reino...

Te amo Deus e amo o jeito com que cuida de mim...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Pãezinhos e chá com gosto de parabéns

Mocimboa da Praia, 09 de outubro de 2010.

Uns dias atrás comecei a pensar sobre as crianças que moram na minha rua... e a idéia q estarei partindo daqui a 9 meses me gelou o coração... Os verei de novo? Eles terão outra oportunidade de ouvir o evangelho?
Assim, na quarta feira de manhã fiz pãezinhos (uma receita americana – biscuits), preparei chá, estendi a esteira no meu quintal e servi café da manhã juntos para eles (mata-bicho, para os moçambicanos).
Quando Omare (mais conhecido como “Pai”) viu o prato cheio de pãezinhos e o chá começou a cantar: “Happy Bithday to you, happy birthday to you...”
Ao mesmo tempo que achei engraçadinho, me cortou o coração perceber que tudo aquilo era uma festa para aquelas crianças... que na maioria dos dias não tomam mata bicho e vão ter sua primeira refeição depois do meio dia...
Decidi que nas manhãs de quarta-feira vou fazer biscuits, chá e contar histórias bíblicas, além de ensinar português a eles, que sofrem demais quando chegam a escola aos 7 anos (quando vão é claro), pois só falam a língua tribal...
A primeira história que contei foi a de Noé (contei em kimwani, e eles iam me ajudando com as palavras q eu não sabia...)
Foi um tempo onde relaxei, aprendi, me diverti, me deliciei com a presença deles e me senti realizada por estar aqui...

Que as palavras da Verdade encontrem terreno fértil no coração desses pequenos...

Ps: Foi impossível não sentir a falta do Assanito nesse meio.... mas sua família estava representada: Saidi é seu tio... (Ágata teve Assanito na mesma época q sua mãe teve Saidi).

da direita para esquerda: Mado, Fatinha, Ntoto, Abu, Pai e Saidi


Fatinha tomando seu mata-bicho...


Ajudando Mado a tomar chá... e Saidi se deliciando com o chá...


Pai - pegando sua xícara e Abi comendo pão...





sexta-feira, 24 de setembro de 2010

No silêncio...tu estas

Mocimboa da Praia, 24 de setembro de 2010.

 
Depois da morte do Assanito... entrei numa onda de silenciamentos.... de um cansaço mental, físico e emocional enorme...
 
Foi por isso que sumi do meu blog...

Um desgaste gerado pela dependência, pela atenção requisitada o tempo todo... expectativas que são difíceis de serem respondidas à altura pelo simples fato de estar em contato com o valores q não os meus...
Aí vem a irritação, vem o choro, vem o desânimo, vem a tristeza e um turbilhões de perguntas sem respostas...
Mas em todo o tempo Deus foi Aquele a me confortar, a revigorar meu ânimo, a guardar minha mente e coração da culpa, de renovar as forças para não desistir, mas sim seguir em frente... olhando para o alvo... que é Jesus... só Jesus...
 
Lembrando sempre das palavras de Paulo a Timóteo:
 
“Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério”. (II Timóteo 4:5)

 
E assim estou de volta por aqui... amparada no meu melhor amigo e companheiro de todas as horas...
Até daqui uns dias...

Bjos a todos...
Ana

domingo, 15 de agosto de 2010

1a perda

Mocimboa da Praia, 15 de agosto de 2010.       
 
 
Assanito morreu.
Morreu no dia 14 de agosto às 22 horas. Morreu dois dias antes de completar 3 anos.
Assani, como todos os chamam, foi a criança que mais me apeguei em Mocimboa.
Quando o conheci ele não andava e não falava. Foi este ano, depois de um tratamento de tuberculose que Assni começou a caminhar com segurança e a falar... e ouvi o primeiro “Ana!!” da sua boca em fevereiro de 2010...
Assanito está no céu. Está presenciando uma paz, alegria e contentamento que nunca teve aqui na terra.
Ele morreu com uma pulseira de pano feito por um curandeiro, pois enquanto eu estava no Brasil, sua mãe, Ágata procurou o curandeiro mais uma vez para tentar curar seu filho... que tinha AIDS, tuberculose, asma e sabe mais Deus o que...
A última vez q toquei em Assanito foi na sexta-feira de manhã. Ele estava dormindo de barriga pra cima, respirando com dificuldade, com catarro escorrendo de sua boca e do seu nariz... Quando sentei na cama de corda em que ele estava dormindo no quintal, encontrei sua carinha com muitos mosquitos, e quando fui limpar seu nariz ele chorou e voltou a dormir, respirando com dificuldade e fazia um barulho horrível.
A vó de Assani, Verônica, foi consolada quando estava correndo quase sem roupa pela rua de terra sem energia nenhuma, num desespero que marca uma cultura que não tem a esperança de um dia viver eternamente com Jesus no céu. Ela veio em minha porta gritando: “Ana, Ana, Ana, Assani morreu Ana!!! Assani morreu!!” Sai de pijama, enrolada numa capulana e chorei amargamente abraçada com minhas amigas....
Ágata mal pode chorar a morte de seu filho. Na cultura mwani vc não pode chorar “muito” pois isto atrapalha a ida da pessoa morta até o seu destino final.Se  houver muito choro, será um caminho cheio de dificuldades e pesares. É pecado chorar pela morte de alguém.
Sentei durante a madrugada num quarto cheio de mulheres, com Ágata deitada no meu colo, desconsolada, perdida e quando não podia segurar, gritava: “Assani, Assani meu filho, Assani minha família, meu filho, meu filho...” E já vinha alguma mulher dizendo que não era pra ela chorar, q ela sabia o que estava trazendo para o seu filho. Mas ao redor, vc podia ver as lágrimas rolando do rosto de cada uma, num silêncio mortal, numa falta de esperança sem fim...
Assanito ficou no quarto ao lado a noite toda sozinho coberto com uma capulana, deitado numa cama de corda. Embaixo desta cama foi feito um buraco no chão, para quando o corpo fosse lavado, a água escorresse nesse buraco e ele fosse tampado depois. Como Assani era um menino, foram homens a lavar seu corpo com sabonete, enrolar num pano branco para ser enterrado.
Foi enterrado as 9:30 da manhã de hoje no cemitério muçulmano de Mocimboa. Só os homens podem acompanhar o enterro. As mulheres não tem esse direito. Ficamos todas sentadas no quintal só observando...
Depois q Assanito morreu, Ágata não pode ficar mais com ele, não pode mais olhar pra ele e nem ficar no mesmo quarto que ele... nem se quer pode derramar todas as lágrimas que estão inundando a sua vida nesse momento...
Amanhã teremos uma cerimônia chamada “Matanga”, que acontece de um a três dias depois da morte de alguém. A família oferece comida aos convidados e depois desta cerimônia está confirmado que a pessoa morta não voltará mais.
Eu estou aqui... chorando minha primeira perda em Mocimboa... chorando a perda de Assanito... chorando por Ágata, Verônica e todo o povo mwani inserido nessa escuridão de alma, medo do futuro, falta de esperança..
Estou pensando qual será minha próxima perda... preparando meu coração para me conformar com a AIDS, com a falta de recursos, com a falta de dinheiro, mas não me conformando com a falta de Jesus na vida de meus amigos e amigas... continuarei aqui, clamando por sabedoria e oportunidades para falar do amor de um Deus que traz conforto, paz de espírito, salvação da nossa vida, promessa de uma eternidade toda a seu lado...
 
Adeus Assani, titia Ana amou ter conhecido você... fiz tudo o que podia pra te ajudar, fiz tudo o que estava ao meu alcance, e mesmo chorando estou feliz que hoje vc não está mais sofrendo, mas está brincando no céu, respirando perfeitamente, com seu rostinho limpo e um corpo sem imperfeições... estou feliz q vc conheceu Jesus e espero um dia te encontrar de novo... Bjos... Titia Ana 

 Essa foi a última foto que tirei de Assani, dia 24.04.2010

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Mocimboa da Praia, 1 de agosto de 2010.

Hoje, dia 1 de agosto de 2010, completo um ano em Mocimboa da Praia!!!
Quando volto os meus olhos para esse um ano q se passou, encontro uma outra Ana Elisa a olhar essas terras pela primeira vez, a titubear se daria conta ou não...
O que mais ouvi dos meus conterrâneos brasileiros, foi quão surpreso eles estavam por eu ter agüentado esse um ano... pois ninguém esperava q um dia eu fosse capaz de deixar minha família pra trás...
Sozinha e pelas minhas próprias forças isso não seria possível mesmo... mas nesse um ano descobri que eu não sou nada... e que Ele é tudo em mim...
Neste um ano descobri também que:
  • Saudade não mata;
  • O ser humano é totalmente adaptável;
  • No convívio com outra cultura, a sua é apreendida de forma mais profunda e real... hoje respeito mais a minha gente e tenho um orgulho profundo em ser brasileira;
  • Conviver com outra língua nos faz mais humildes na medida em que nos percebemos usando um vocabulário precário e infantil para nos comunicar...
  • Que o silêncio é melhor do que o muito falar...
  • Sou mais forte do que eu pensava ser;
  • Sou engraçada... e quão inusitado foi perceber isso... hahahaha...
  • Posso falar em público sem me desesperar;
  • Preciso aprender a receber presentes e elogios, sem me sentir constrangida e na obrigação de retribuir algo imediatamente...
  • Amo falar português... nossa... como eu amo!!! rss...
  • As músicas que nos vem à mente do nada são as antigas, aquelas da infância... e viva Vencedores por Cristo, Grupo Elo, Harpa Cristã e por aí vai....
  • Tenho a mania da minha vó Ester de guardar saquinhos de supermercado no guarda-roupa;
  • Não suporto ficar com os pés molhados no chinelo depois do banho;
  • Posso ficar sem fazer minhas mãos, mas é impossível ficar sem fazer meu pé...
  • Cabelo cresce mais rápido do que se imagina;
  • Música e leitura são vitais para sanidade mental...

  • Amo, amo, amo padarias e como é difícil viver sem elas...
  • Tudo o que é embasado no amor e no respeito não se perdem com a distância, mas se solidificam com a saudade...
  • E ainda... que a paz em Jesus é real...
Aprendi, reaprendi e vou continuar aprendendo que “dele, por Ele e para Ele são todas as coisas...“ (Romanos 11:36)

Te sirvo porque te amo meu Senhor... obrigada por esse um ano de fidelidade, amor e carinho...
E obrigada a todos por estarem comigo nessa curta caminhada...
Viva um ano em Mocimboa da Praia!!!

Bjos
Ana

terça-feira, 27 de julho de 2010

Era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada

Mocimboa da Praia, 26 de julho de 2010.

 
Quase não consegui expressar em palavras o que senti hoje... 
 
Ao entrar na sala da Manadjúma, me deparei com seu marido Ebraimo sentando no canto da mesa, de pernas cruzadas e desenhando a planta da sua nova casa...
Manadjúma perdeu sua casa para a sua família... ela se casou de novo, com um marido que sua mãe não aprovava... Sua mãe é feiticeira e fez de tudo para que ela abandonasse Ebraimo.... Depois de sofrer terrivelmente pelos feitiços feitos pela própria mãe, deixou sua casa própria, que construiu com suas economias e se mudou para uma casa de favor... bem em frente a minha...
Mês passado, ela e seu marido adquiriram seu novo terreno...
Ver Ebraimo desenhando com caneta Bic azul e vermelha a planta da sua casa... a lateral... a varanda... a frente... os fundos... com tanto capricho e préstimo... sonhando com uma casa que provavelmente levará anos e anos para ficar pronta... me fez pensar que somos todos iguais... feitos de carne e osso... e por vezes temos o mesmo sonho... o tão sonhado “sonho da casa própria”... sonho de pertencer a um lugar... sonho de ter um canto para chamar de nosso...
 
Me  lembrei do meu pai... pois ele também sonhou e sonhou com a casa q vivemos hj no Brasil... “milimetrou” os azulejos da cozinha para que os desenhos dos azulejos decorados e os azulejos brancos fossem dispostos de forma uniforme e perfeita....
 
Naquela sala me senti em casa, me senti acolhida... me senti parte da família... sonhando junto...
E a minha oração é para que Jesus reine naquele lar...
Estejam em oração comigo...
Bjos
Ana

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Parti e não olhei pra trás

Mocimboa da Praia, 09 de julho de 2010.


Parti e não olhei pra trás
E quando olhei me desesperei...
Pois sabia exatamente o que estava deixando para trás e o que iria encontrar...
Sabia os cheiros, os gostos, as saudades, as presenças e solidões...
Com o coração apertado fui abraçada e recebida com muita festa... distribui chicletes para as crianças, brincos para as mulheres e comecei a caminhar novamente pelas ruas de Mocimboa... até que meus pés se habituassem de novo à poeira desse chão tão cheio de necessidades...
Necessidades que muitas vezes já se tornaram normais à minha visão de quase um ano por aqui... mas quando ouvi a experiência da minha primeira visita brasileira, a pastora Márcia, percebi o quanto é mesmo chocante pisar aqui.

Pra ela comer sem luz e com as mãos ao lado do Assanito em plena crise de tosse com tuberculose, passar horas e horas à noite sem TV, rádio, luzes na rua ou barulho de trânsito, se ver sem geladeira, sem descarga, sem carro, tendo q se cobrir com lenços e capulanas e ainda ter q se acostumar com os ratos andando nas madeiras do meu telhado foi muito difícil... mas uma benção para o seu coração que definitivamente voltará para o Brasil com outras perspectivas...

E cá estou... me sentindo mais moçambicana do que nunca... sem que a lista acima me incomode... não mais...

Hoje minha lista está repleta de planos e responsabilidades para o próximo ano curtíssimo onde finalizaremos nosso trabalho aqui...

Acordei e orei... “Deus preciso da sua ajuda e sabedoria... para liderar a Pré-Escola, para discipular e evangelizar meus vizinhos, para abençoar os jovens da minha Igreja...” E Ele veio com sua presença gostosa e encheu meu coração com a esperança e certeza que fará a Sua vontade apesar das minhas incapacidades e limitações:

"Também o Espírito (Santo), semelhante nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis” (Romanos 8:26).

Assim, estou de volta em Mocimboa!!!! Mas não estou sozinha!!!
Estou acompanhada do Espírito Santo e dos seus gemidos que levam o meu “não saber orar como convém”, minhas preocupações, medos e ansiedades até o trono do Deus todo Poderoso...

Bjos diretamente de Mocimboa da Praia a todos!!!


sexta-feira, 4 de junho de 2010

Mãos no arado

Johannesburg, 04 de junho de 2010.


Estou prestes a embarcar pra Mocambique...
So queria deixar essa musica que falou muito ao meu coracao ai no Brasil...


Mao no Arado - Grupo Logos

Quem tem posto a mão no arado,
Não pode mais olhar pra trás!
Pois quem no arado põe a mão,
Trabalho certo e perto, tem serviço e profissão.

Lança a semente, espalha pelo chão;
Planta em tua terra,
Faz do teu trabalho tua guerra.

Quem em Cristo põe a vida,
Não pode mais olhar pra trás!
Pois quem ao Mestre deu a mão
Trabalho certo e perto, tem serviço e profissão.

Prega a palavra, ensina ao teu redor;
Mostra em tua vida,
Faz das boas novas tua lida.


So conseguimos não olhar pra trás quando focamos nossas escolhas em Jesus, sabendo pois, q essas escolhas nao nos isentam de lagrimas, tristezas e saudades...
Mas, Seu amor e salvacao valem mais do que tudo...
"Te sirvo porque Te amo..."

Bjos a todos...

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Não há nada melhor


Marília, 18 de maio de 2010

Já se passaram 3 semanas das minhas férias...
Dias aproveitados de diferentes formas...

Com gostos, cheiros e rostos que há muito não apreciava...

Definitivamente o tempo aqui tem outras proporções...

Aqui durmo mais tarde e acordo mais tarde...

Como mais e com mais variedade...

Me emociono e expresso tudo, ou quase tudo até dizer chega...

Esses dias passaram voando embrenhada no casamento da minha irmã e da Pri...

Experimentei o primeiro feijão feito pela Mi no seu novo ninho...

Assisti filme, pausei pra copiar uma letra de música que amei e minha mente vageuou ao me perder por entre as paisagens e falas do filme “Romance”...

Mais do que nunca estou sentindo na pele o que é dizer sim e não, não mais pensando nos valores terrenos, mas nos eternos...
E como é bom reconhecer que:

" Não existe nada melhor  
Do que ser amigo de Deus  
Caminhar seguro na luz  
Desfrutar do seu amor  
Ter a paz no coração  
Viver sempre em comunhão  
E assim, perceber  
A grandeza do poder 
De Jesus, meu Bom Pastor "

consegui perceber realmente a grandeza do poder de Deus quando me dispus a travar uma luta diária de olhar para a cruz e não para o meu umbigo, que por vezes é fundo, egoísta e perdido... Ter Jesus como árbitro do nosso pensar, andar, falar e agir é definitivamente a melhor escolha... não a mais fácil, mas a melhor!

"Nós porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos,  
entretanto, da fé, para a conservação da alma”. Hebreus 10:39

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Notícias da terrinha

Marília, 05 de maio de 2010.
 
É a primeira vez que escrevo no meu blog do meu país....
Uma semana de Brasil!!!
Sentimento de estranhamento, de não pertencimento na minha própria terra ...
 
  • me perdi ao passar o cartão de crédito e ser lembrada que deveria colocar minha senha...
  • me perdi nos armários da cozinha da minha casa...
  • meu pé encheu de bolhas ao andar de sapatinho moderninho que minha mãe me deu....
  • me senti estranha ao tomar sol com biquini brasileiro...
  • tentei assistir A Grande Família e fiquei inconformada com tanta abobrinha...
  • percebi quanto tempo podemos desperdiçar com “orkuts” da vida e com pessoas que não valem a pena, quando temos energia à vontade...
  • quanta fartura!!! Mas como é bom sentir o gosto da goiabada com queijo novamente...
  • como é bom comer pão francês com requeijão...
  • como tem sido bom conhecer minha sobrinha de perto, sentir seu cheiro, escutar sua risada, dar banho, dar mamadeira, fazer dormir...
  • como tem sido bom curtir minha irmã e ajudá-la com os preparativos finais do casamento: docinhos, sapato, cabelo, músicas... só nós duas no carro, andando, escutando música e conversando...
  • como tem sido bom dar bom dia para meus pais...
  • como estamos na expectativa da espera meu irmão, que irá completar o “nós seis” no compartilhar da mesa...
  • como foi bom abraçar meus familiares, amigas e amigos...
  • como foi bom participar de um culto na minha Igreja, com louvor e pregação no “português brasileiro” e sentir o abraço e beijo dos irmãos e irmãs em Cristo...
  • e... irei pregar no púlpito da minha igreja, que sempre foi criteriosa na escolha de seus preletores. Que Deus tenha misericórdia de mim! Me quebre e me faça de novo!
 
São muitas emoções pra uma semana só!!
Estou toda elétrica, com passos rápidos, querendo aproveitar tudo e todos... com medo de que o tempo se esvaia pelos vãos dos meus dedos...
Por isso minha oração tem sido: “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios”. Salmo 90:12
 
Beijos e abraços brasileiros a todos...
Ana
 Minha recepção no Brasil! Não tem preço!

terça-feira, 20 de abril de 2010

Pode ir armando o coreto, preparando aquele feijão preto, que eu tô voltando...

Mocimboa da Praia, 20 de abril de 2010.
 
 
Daqui a exatamente uma semana meus olhos se encontrarão de novo com os da minha mãe, meus braços abraçarão o homem mais lindo desse mundo... meu pai!!!!
Parece um sonho... um sonho q Deus colocou em meu coração no dia 26 de dezembro...
Estava chorando depois do primeiro Natal sem minha família e veio aquela vozinha no coração: “Porque ao invés de passar suas férias no norte da África como vc estava planejando, pq não vai para o Brasil?”
Tudo se tornou tão óbvio! Conversei com meus líderes e cá estou eu, pronta pra pisar em solo brasileiro novamente!
Só consigo ver tudo isso como uma demonstração do amor de Deus por mim, pois ele sabe e me conhece. Sabe o quanto estava contando os dias para abraçar os que amo de novo, o quanto vai ser importante recarregar as energias para mais uma no de trabalho...
Depois dessa decisão só vieram mais e mais notícias boas...
O casamento da minha Mi, minha irmã caçula...
Da minha amiga Prica....
Minhas amigas de fora indo pra Marília me ver...  
Notícias q só vieram confirmar que Deus já tinha tudo planejado antes mesmo q eu viesse pra cá...
Conhecer a Manuela com 5 meses e segurá-la ainda nenê vai ser uma delícia!!!
Ver minha irmã se casando, sendo madrinha ao lado do meu irmão... será muita emoção pra um coração tão pequeno como o meu!!
Assim estou em meio a listas e mais listas... com meu quarto forrado de malas...e me sentindo mais do que pronta pra embarcar!!!
Espero q Deus guie todos os meus dias no meu Brasil brasileiro e que tudo seja pra sua honra e glória...
Até daqui uns dias!!
Ebaaaaa!!!!  rss...
Bjos
Ana

 

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Meu aniversário moçambicano

Mocimboa da Praia, 15 de abril de 2010.
 
 
Desde que cheguei aqui em Mocimboa da Praia, há quase 9 meses atrás, comecei a preparar minha festa de aniversário em minha mente, mas como os planos mudaram conhecendo mais a cultura e os costumes locais!!
Semanas atrás fiz a lista de convidados (mais ou menos 50 pessoas entre adultos e crianças) e o cardápio:
 
  • 18 kilos de arroz
  • 4 kilos de feijão
  • 5 galinhas
  • 4 kilos de batata
  • 8 cocos
  • 0,5 kilo de cebola
  • 2 cabeças de alho
  • 1,5 L de óleo
  • 1,5 kilo de tomate
  • 2 latas de massa de tomate
  • 1 pacote de curry
  • 4 pacotes de suco
  • 7 galões de água
  • Lenha
 
Para receber bem seus convidados em Mocimboa, vc deve servir arroz e “caríli” (nome usado para o molho q acompanha o arroz), sendo esse “molho” feijão, galinha ensopada com tomate e batatas ou cabrito ao molho de tomate e batatas. Escolhi galinha e feijão!
Tudo começou às 6 da manhã com o meu guarda Abdul chegando para matar as galinhas, pois para os mulçulmanos há uma maneira especial de se matar animais, e devem ser eles a matá-los, caso contrário, não comem a comida servida. Ele colocou sua boina islamica, lavou suas mãos e pés, e começou a rezar em árabe: “Eu juro em nome de Ala. Estou aqui a matar esses animais em nome de Ala”.
Logo em seguida o cozinheiro “Smile”, como o chamamos por aqui, começou a ascender o fogo. Assim, meu quintal começou a se transformar em salão de festa, cozinha, tudo!!!! Foi um vai e vem de galões de água (pois há quase um mês estamos sem água na minha casa e dependemos agora dos poços locais), de ralar cocos, de varrer o chão, de arrumar as esteiras, etc.
Meu amigo Momade, de 9 anos, e outras crianças apareceram para me ajudar a carregar panelas, a varrer a frente da minha casa....
Minha família aqui: Sara, Sifa, Zura e Zaína, foram as primeiras a chegar e as últimas a sair... e Sara como a mais velha, me ajudando a coordenar tudo... me dizendo:  “senta pra comer!” (como me vi nela! rss...)
Minha família de “muzungos” (palavra em kimwani para estrangeiro) também estava presente. Sharon, Margareth e Bron (algumas das mulheres do nosso Time), fizeram bolos para mim e eu fiz mais três. Assim, no total tínhamos 6 bolos para servir, o que foi recebido com muita alegria, pois eles só comem bolo no “Idi” (RAMadã Muçulmano) e em casamentos.
Agradeci a todos pela presença, disse q os amava e q eles eram minha família aqui e finalizei com: “Karibu Tena” (Sejam bem-vindos novamente!). Patrick fez uma oração em kimwani, abençoando a minha vida, os convidados e a comida servida.
 
Na minha festa de 29 anos não encomendei salgadinhos, não tive bolo recheado e confeitado, não tive minha família de sangue e amigos de longa data presentes, não usei calça jeans e sandália de salto, mas tive um aniversário espetacular...
Tudo isso me fez reconhecer a realidade em que me encontro hoje... me fez lembrar da comodidade antes vivida: encomendar o bolo por telefone, de ir ao supermercado de carro e comprar os produtos e ingredientes para a festa, ao invés de comprar galinhas vivas, matá-las, depená-las, ascender o fogo à lenha, buscar galões de água, usar capulanas, lenço e chinelos..
Mas só posso dizer que amei!!! Curti cada segundo e me senti realizada em proporcionar isso para as pessoas que estou aprendendo a amar dia após dia....
Deus foi maravilhoso e fiel em prover comida suficiente, em me dar de presente um dia de sol em meio a uma estação de chuvas e de estar me dando mais um ano de vida...

Vejam as fotos desse aniversário aqui no meu álbum.
 
Assim, obrigada Jesus!! Obrigada por tudo, tudo!
Bjos a todos!!!
Ana 


 
 
Ps: Hj minha vó Ester estaria completando mais um ano de vida... Sua vida de oração e devoção à Deus abençoaram tremendamente toda a família.. e tenho certeza q é resposta às suas orações eu estar aqui hoje... Ela é um exemplo de mulher e cristã pra mim... Sinto muitas saudades.... 
 

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Estamos como quem sonha


Mocimboa da Praia, 7 de abril de 2010.
 
 
Hoje é o dia da Mulher Moçambicana, data esta comemorada com muito apreço por nós da Escolinha Tumaini.... e hoje é também meu dia, pois hoje minha casa é este país...
            Com o objetivo de abrir as portas para o evangelho e demonstrar o amor de Jesus, organizamos um programa para as mães dos alunos....
Todas foram chegando, com suas capulanas e lenços coloridos, com sorrisos estampados no rosto, sendo recebidas como convidadas especiais, coisa que não acontece com muita freqüência para as mulheres desta vila e pertencentes a religião a que pertencem...
Abri o programa falando sobre direitos da mulher, sobre a importância de respeitarmos e sermos respeitadas, da importância de nos amarmos para que possamos amar os outros com mais confiança e veracidade.
E é claro, expus que nos dias de hoje, com a traição sendo praxe na maioria dos casamentos, com as complexidades que a educação dos filhos exige, com a vulnerabilidade econômica e social evidente, ainda mais em um continente como a África, só conseguimos nos amar e nos sentirmos importantes reconhecendo o grande amor de Deus por nós.
Todos que me conhecem devem imaginar como estava o meu coração ao me deparar esta manhã ensinando sobre direitos da mulher e sobre o amor de Deus para mulheres muçulmanas! Mais uma vez me senti parte de um sonho sonhado há tantos anos atrás e que muitas vezes parecia tão distante!
Mas hoje não é mais sonho, é a realidade em que me encontro... realizando meu ministério como missionária no meio da África com mulheres e crianças muçulmanas! Glórias a Deus que conhece os desejos do nosso coração...
Continuando... o programa seguiu com palestras sobre casamento, educação de filhos, higiene pessoal, culinária, rifas e até manicure!
Foi uma benção e sentimos que Deus estava plantando muitas sementes no coração daquelas mulheres...
Assim, estejam em oração comigo por todas elas, para que as palavras ouvidas possam gerar reflexão e reconhecimento que Deus as ama!
 
Feliz Dia da Mulher Moçambicana!
Bjos
Ana

 Começo do nosso programa
 eu e Moamede




Mulheres moçambicanas




Olha eu de manicure!